Quarta, 29 Julho 2020 22:28

Desafio da Solidariedade: Petroleiros e agricultores estarão neste sábado na periferia de Curitiba e Araucária

 

O gás de cozinha produzido pelos petroleiros e os alimentos oriundos da reforma agrária cultivados pelos trabalhadores rurais serão entregues às famílias da Comunidade Santão e Vila Formosa, em Curitiba, e na Santa Cruz e Portelinha, em Araucária  (*Giorgia Prates / Brasil de Fato PR)

 

A união entre trabalhadores do campo e da cidade tem seu segundo Desafio da Solidariedade confirmado na periferia de Curitiba e Araucária no próximo sábado (1). A ação tem o objetivo de aumentar o número de arrecadações vindas dos petroleiros, dos nossos companheiros e amigos, para fazer doações de itens essenciais às famílias que estão em vulnerabilidade social durante à covid-19.

 

Em Curitiba e Araucária, os petroleiros pretendem entregar 400 cargas de gás de cozinha, as outras 120 serão destinadas para ação em São Mateus do Sul no próximo 15 de agosto.

 

A organização da campanha reafirma que essa meta depende da solidariedade da categoria. As doações precisam continuar porque a crise está cada vez mais intensa. 

No primeiro desafio, os petroleiros arrecadaram 520 botijões de gás de cozinha e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) 15 toneladas de alimento. O destino desses itens em Curitiba foi na Portelinha (Santa Quitéria); na comunidade 23 de agosto (do Osternak); no Sabará, (Cidade Industrial); e da Vila Santos Andrade (Campo Comprido).

 

Solidariedade Petroleira  

 

Em Araucária foram duas ações na Associação de Moradores do Jardim Alvorada (mais informações: link 01 e link 02), no entorno da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar). Já as entregas em São Mateus do Sul beneficiaram os carrinheiros que vivem nos arredores da Usina do Xisto (SIX). Também houve entrega de roupas de frio na Vila Esperança, em Paranaguá, como parte da Campanha do Agasalho.  

 

O momento é de empatia com o próximo e participação na campanha Solidariedade Petroleira. O agravamento da crise da Covid-19 tem deixado muitas famílias desassistidas nesse período.

 

Faça o bem!

 

:: Banco do Brasil

 

   Agência: 5044-X

 

   Conta Corrente: 371-9

 

   CNPJ 80.043.045/0001-82

 

 

:: Caixa Econômica Federal (CEF)

 

   Agência: 0369

 

   Conta Corrente: 00005048-4

 

   CNPJ 80.043.045/0001-82

 

 

Horário e local das ações:

 

>> Dia 31 de julho, sexta

16h30 - Benção dos alimentos por Dom José Antônio Peruzzo, Arcebispo Metropolitano de Curitiba - Rua Othoniel Taborda Reinhardt, 409, Xaxim.

 

>> Dia 1 de agosto, sábado

9h - Em Curitiba: Jardim Santos Andrade, no bairro Campo Comprido, e na Vila Formosa, no Novo Mundo.  

14h - Em Araucária: Vilas Santa Cruz e Portelinha, no bairro Vila Nova.

 

>> Dia 15 de agosto, sábado

Em São Mateus do Sul: Vila Verde, Vila Nova e Vila Bom Jesus.

 

Dom Peruzzo fará a benção dos alimentos

 

Arroz, feijão, batata, mandioca, laranja, banana, legumes, verduras, frutas. O colorido da diversidade da produção camponesa estará nas sacolas que serão entregues às famílias que mais precisam. Mil pães caseiros também estão sendo produzidos por um grupo de mulheres do acampamento Maila Sabrina, de Ortigueira.

 

Os caminhões com os alimentos chegam em Curitiba na sexta-feira (31), e um mutirão de preparação das cestas terá início às 14h, no bairro Xaxim. Dom José Antônio Peruzzo, Arcebispo Metropolitano de Curitiba, fará a benção dos alimentos às 16h30, neste local.

 

Sábado

 

As entregas em Curitiba começam às 9h no Jardim Santos Andrade, no bairro Campo Comprido; e na Vila Formosa, no Novo Mundo, onde cinco associações de moradores atuam de forma conjunta para criar cozinhas comunitárias. Em Araucária, as distribuições terão início às 14h nas Vilas Santa Cruz e Portelinha, no bairro Vila Nova.

 

A preparação da distribuição está sendo feita em diálogo direto com associações de moradores e coletivos locais, com cadastro prévio das famílias que irão receber as doações. A coordenação da iniciativa reforça a obrigatoriedade do uso de máscara e o distanciamento social.

 

Com o acirramento da crise econômica e a insuficiência de políticas públicas para atender a demanda, as dificuldades financeiras são uma realidade nas periferias das cidades. Estudos da Organização das Nações Unidas (ONU) indicam aumento da taxa de pobreza em 7% na América Latina este ano, o que resultará em 45 milhões de pessoas a mais no mapa da pobreza e extrema pobreza na região - que chegará a 230 milhões de pessoas (37,2% da população).

 

 

Via comunicação Sindipetro PR e SC e MST.  

 

Última modificação em Quarta, 29 Julho 2020 23:01

Jornal Revista

Edição Nº 1418

Veja Todos os Jornais

TV Sindipetro