Terça, 04 Agosto 2020 23:53

Famílias de Curitiba e região receberam 28 toneladas de alimentos e 400 cargas de gás do MST e do Sindipetro PR e SC

 

As doações foram entregues em seis comunidades de Curitiba, Araucária e Campo Magro

 

A pandemia da Covid-19 avança no Paraná, e junto com ela o número de pessoas que enfrentam dificuldades econômicas e falta de comida na mesa. Para se somar às ações imediatas de combate à fome que se espalham pelos Brasil, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e o Sindicato dos Petroleiros do Paraná e Santa Catarina (Sindipetro-PR/SC) se uniram para doar alimentos e gás a famílias em situação de vulnerabilidade de Curitiba e Região Metropolitana, neste sábado (1).

 

Arroz, feijão, mandioca, batata doce, frutas, legumes, verduras e pães somaram 28 toneladas de alimentos doados por famílias da Reforma Agrária e da Agricultura Familiar de sete municípios. Já as 400 cargas de gás doadas foram adquiridas por meio de uma campanha que envolveu petroleiros do Paraná e de Santa Catarina.

 

Em Curitiba as doações chegaram às famílias do Jardim Santos Andrade, no Campo Comprido; Vila Sabará, na Cidade Industrial de Curitiba; e Vila Formosa, no Novo Mundo. No município de Araucária, as comunidades beneficiadas foram as Vilas Santa Cruz e Portelinha. Já em Campo Magro o gás e os alimentos chegaram aos moradores do acampamento Nova Esperança, localizado no centro do município. 

 

"A nossa comunidade é carente, precisa bastante de ajuda. E hoje a gente fica imensamente feliz, a gente fica até sem palavras pra agradecer", disse emocionada Rosenilda de Paula, conhecida como Nenê da Santos Andrade, 47 anos, presidenta da associação de moradores do Jardim Santos Andrade, no bairro Campo Comprido. Lá foram distribuídas 400 cestas e 200 cargas de gás de cozinha.

 

Ivan Carlos Pinheiro é morador da Ferrovila e faz parte da União de Moradores e Trabalhadores do Bolsão Formosa, no Novo Mundo. Cinco associações da região receberam alimentos e gás para iniciar um projeto de cozinhas comunitárias para a preparação de marmitas a serem doadas à população mais necessitada das comunidades. O líder comunitário relata as dificuldades enfrentadas pelas famílias na região, especialmente trabalhadores informais.

 

“A gente percebe que os depósitos de recicláveis abaixaram o preço e, com isso, as pessoas [recicladores] não estão conseguindo fazer um dinheiro muito bom. Esses alimentos chegam na melhor hora para ajudar na alimentação dos filhos, da família. É muito importante quando a gente vê as pessoas receberem. Tem gente que chega até nós e fala que não sabia mais o que ia fazer para colocar alguma coisa na panela para os filhos se alimentarem, os adultos mesmo... E as pessoas chegam a chorar de desespero e dizem que a melhor coisa que aconteceu foi a gente levar o alimento para elas", relatou Pinheiro. 

 

Alexandro Guilherme Jorge, presidente do Sindipetro, resume o dia como uma ação de trabalhador para trabalhador. Além de levar itens essenciais a quem mais precisa, ele explica que o objetivo é cobrar ação do Poder Público para o combate à fome. “É uma forma da gente se ajudar neste momento difícil que estamos passando. Ao mesmo tempo é uma forma de protesto por termos grande produção de gás e alimentos no Brasil e, mesmo assim, muita gente não ter acesso, devido aos altos custos”.

 

Esta é a segunda vez que o MST e o Sindipetro-PR/SC se juntam para garantir estes dois itens que são essenciais para a alimentação em casa - a primeira ocorreu no dia 13 de junho. “Estamos fazendo uma aliança entre os trabalhadores do campo e os da cidade”, explica Joabe Mendes, integrante da direção estadual do MST do Paraná. “A solidariedade não pode permanecer só em tempo de pandemia. Ela tem de ser uma prática permanente e aliada na resistência contra o vírus e as injustiças, e por vida digna para todos e todas”, concluiu.

 

A Campanha Solidariedade Petroleira segue com entrega de gás de cozinha, alimentos e outros itens essenciais em 15 de agosto no município de São Mateus do Sul. A categoria tem condições, nesse momento de extrema crise, de contribuir. Essas ações literalmente salvam vidas. Participe.

 

Faça o bem!

 

:: Banco do Brasil

   Agência: 5044-X

   Conta Corrente: 371-9

   CNPJ 80.043.045/0001-82

 

:: Caixa Econômica Federal (CEF)

   Agência: 0369

   Conta Corrente: 00005048-4

   CNPJ 80.043.045/0001-82

Jornal Revista

Edição Nº 1418

Veja Todos os Jornais

TV Sindipetro