Mostrando itens por tag: tepar
Terça, 19 Fevereiro 2019 15:01

Nº 1415

Sexta, 08 Fevereiro 2019 18:14

Fornecimento do transporte gratuito pela Transpetro é fruto de ação judicial movida pelo Sindipetro PR e SC.

Sexta, 08 Fevereiro 2019 13:54

 Estará em discussão o impasse nas negociações sobre a pauta de reivindicações.

Quarta, 16 Janeiro 2019 16:55

Serão realizados atrasos no expediente com Bate-Papo Sindical em todos os grupos de turno.

Sábado, 08 Dezembro 2018 00:14

Decisão da 1ª Vara do Trabalho de Paranaguá acolhe a tese do Sindipetro de que os trabalhadores enquadrados nesta situação sofrem discriminação por parte da empresa.

Quinta, 14 Junho 2018 18:46

Assembleias para eleição de delegados será entre 15 e 20 de junho, mas participação de observadores será aberta.

Terça, 02 Janeiro 2018 16:58

Um grave acidente ocorreu na madrugada do dia 30 de dezembro, no Terminal Aquaviário da Transpetro em Paranaguá (Tepar). Um navio de óleo combustível estava em conexão com o Terminal e sofreu instabilidade, talvez por causa de correnteza da maré. Os mangotes (cabos flutuantes usados para transferir fluídos) que estavam conectados romperam, dutos foram entortados e houve vazamento de óleo no mar.

Quarta, 13 Dezembro 2017 11:59

A Transpetro, empresa subsidiária da Petrobras, foi condenada a restabelecer o fornecimento do café da manhã (desjejum) aos empregados que trabalham no regime administrativo em Paranaguá e em Biguaçu.

 

A empresa suspendeu o desjejum dos empregados em abril de 2017 sem prévia negociação com o sindicato da categoria. No processo trabalhista a Transpetro alegou como justificativa para a suspensão do fornecimento do café da manhã a redução de despesas em suas unidades em todo o país.

 

No entanto, em decisões publicadas em 28.11.2017 e 07.12.2017, respectivamente pela 1.ª Vara do Trabalho de Paranaguá/PR e pela 1.ª Vara do Trabalho de São José/SC, foi acolhida a tese do Sindipetro PR e SC e houve o reconhecimento da nulidade do ato da empresa que suprimiu o desjejum que era fornecido há muitos anos e, portanto, já havia integrado o contrato de trabalho dos empregados, conforme previsão do art. 9.ª e 468 da CLT.

 

A sentença de Paranaguá ressaltou ainda que no Acordo Coletivo de Trabalho assinado entre as partes a Transpetro se comprometeu a supervisionar e aprimorar seu programa de alimentação, assegurando a mesma alimentação para todos os usuários em que o serviço é oferecido.

 

Além disso, ambas as sentenças condenaram a empresa a pagar um valor diário, de R$ 11,90, para cada empregado que teve suspenso o desjejum fornecido, durante o período da suspensão.

 

O advogado Christian Marcello Mañas, do Sindipetro PR e SC, enfatiza que a supressão unilateral do desjejum fornecido diariamente pela Transpetro aderiu aos contratos de trabalho dos empregados, caracterizando alteração contratual lesiva. Das decisões ainda cabe recurso pela Transpetro. (processo 0000436-20.2017.5.09.0411, da 1.ª Vara do Trabalho de Paranaguá/PR e processo 0000518-43.2017.5.12.0031, da 1.ª Vara do Trabalho de São José/SC).

 

Fonte: Sidnei Machado Advogados Associados

Jornal Revista

Edição Nº 1418

Veja Todos os Jornais

TV Sindipetro