Sexta, 08 Maio 2020 00:18

Mais um caso de trabalhador infectado pelo novo coronavírus na Repar

Novo infectado trabalha no mesmo setor do primeiro trabalhador que testou positivo para o novo coronavírus. Sindicato exige providências imediatas da gestão da Repar para conter a proliferação do vírus.

Davi Macedo

Sindipetro PR e SC

 

A Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), em Araucária, teve mais um caso de trabalhador infectado pelo novo coronavírus nesta quinta-feira (07). É o segundo caso de teste positivo para a Covid-19 dentro da unidade.

 

O novo contaminado também é do setor de Hidrotratamento e Reforma Catalítica (HRC) e segue o protocolo de permanecer em isolamento domiciliar por sete dias. Será feito outro teste para contraprova laboratorial nesta sexta-feira (08) e o resultado deve sair dentro de cinco dias úteis.

 

O segundo caso indica possível cenário de proliferação do vírus. Não apenas os petroleiros, como também toda a comunidade do entorno da refinaria deve permanecer em estado de alerta e redobrar os cuidados para evitar a contaminação em massa.

 

O Sindipetro Paraná e Santa Catarina exige da gestão da Repar providências imediatas de combate ao novo coronavírus para preservar a saúde e a segurança dos trabalhadores, seus familiares e população em geral.

 

Foi enviado Comunicado Sindical à Repar no qual é solicitada, com extrema urgência, a realização de exames para aferição da Covid-19 em todos os trabalhadores, próprios e terceirizados.

 

Com o objetivo de auxiliar na prevenção à propagação do vírus, o Sindicato também requereu à empresa informações sobre o número de casos suspeitos, investigados e descartados; bem como sobre a quantidade de exames realizados para detecção da Covid-19.

 

Petrobrás falha na prevenção à Covid-19

Enquanto a gestão da Companhia, sob o comando de Roberto Castello Branco, negligencia medidas preventivas cobradas pela Federação Única dos Petroleiros (FUP) e sindicatos filiados, o número de casos de Covid-19 na empresa dispara.

 

De acordo com o levantamento mais recente do Ministério de Minas e Energia, divulgado na última segunda-feira (04), foram registrados 1.642 casos suspeitos da doença na empresa, 806, confirmados e 231, recuperados.

 

A situação é mais crítica nas plataformas marítimas de extração de petróleo, nas quais, até 30 de abril, 329 trabalhadores já haviam testado positivo para a Covid-19, segundo a Agência Nacional de Petróleo (ANP). No entanto, os casos de contaminados em unidades terrestres da empresa seguem aumentando em ritmo acelerado, resultado da fracassada política adotada pela gestão da empresaa na prevenção ao novo coronavírus.

 

Redobrar os cuidados

Ainda que a gestão da empresa não faça sua parte, todos podem contribuir para evitar a propagação do vírus com a atenção às recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) de evitar aglomerações, manter distanciamento de outras pessoas, usar máscara sempre que estiver fora de casa, lavar sempre as mãos e usar álcool em gel, entre outros.

 

O Sindipetro orienta os trabalhadores a redobrarem a atenção em relação às medidas de controle contra o contágio e proliferação da Covid-19. Caso encontrem situação de risco, utilizem o direito de recusa, conforme estabelecido pela cláusula 78 do ACT 2019/2020, e denuncie a algum dirigente sindical ou ligue para (41) 3332-4554.

Última modificação em Sexta, 08 Maio 2020 13:58

Jornal Revista

Edição Nº 1418

Veja Todos os Jornais

TV Sindipetro